Evite o caos em família - Especial Coronavírus



Chega! Eu não aguento mais ficar em casa com essa família!!! Isso não é programa da tarde, mas é quase um Caos de família. Hoje eu vou dar dicas de como tolerar a convivência em casa. Tirando o elenco do BBB.. quem decide por vontade própria ficar confinado, convivendo com outras pessoas, dia e noite, num espaço limitado, racionando comida, por dias indeterminados, sem saber que dia você vai sair? Agora, a maioria de nós tem tempo – não sei se tem interesse – de ver programas como BBB e Casos de família. Se são fake ou não, não sei. Fato é, programas como esses trazem as maiores concentrações de desregulação emocional da televisão brasileira. E talvez isso esteja começando a acontecer na sua casa! Já que você não pode ir à TV pra pedir orientação de especialistas, este artigo tem a intenção de te dar algumas dicas saudáveis de convivência em tempos de quarentena.

Vou te dar algumas dicas fundamentais nesse artigo. Aceite que você não controla seus familiares e que eles são mais do que você pensa. No caso de maridos e esposas, desculpa... você escolheu. Nos demais casos, não.

A questão é: uma das coisas que mais instiga à raiva é o combo de três crenças irracionais: uma é que os outros devem fazer o que eu quero, na hora que eu quero, simplesmente porque eu quero. A outra é que meu marido é um retardado, meu filho é um porco, minha filha é uma peste, minha esposa é uma preguiçosa, meu pai é irritante, minha mãe só enche o saco, e se deixar a gente passa o vídeo dando exemplo. Eu não vou suportar mais 1 dia em casa com essas pessoas! Se você não teve nenhum pensamento desse tipo nos últimos dias, encaminha esse vídeo pra toda sua lista de whatsapp porque com certeza todos os seres humanos já tiveram. Você é a exceção! Se você pensa dessa forma, vamos seguir. os outros devem fazer o que eu quero, na hora que eu quero, simplesmente porque eu quero. Simplesmente pergunta. Ah, não vale responder porque eu quero!

Por que os outros devem fazer o que você quer, na hora que você quer, simplesmente por que você quer? Qual a lógica em pensar que os outros devem fazer o que você quer, na hora que você quer, simplesmente por que você quer? Quais as vantagens que você está colecionando na sua vida achando que os outros devem fazer o que você quer, na hora que você quer, simplesmente por que você quer?

Muitos de nós sofremos por confundir desejos com necessidades. Necessidades são coisas que realmente precisamos ter para sobreviver. Ellis afirma polemicamente que só precisamos de água, comida e abrigo. Todo o resto é desejo. Desejo são preferências, gostos. Algo particular que nos geraria prazer se tivéssemos, que seria muito bom, que seria desejável de ter. Quando confundimos desejo com necessidade, passamos a exigir ilogicamente dos outros que façam o que a gente quer, na hora que a gente quer, simplesmente por a gente você quer. Sim, ilogicamente.

Não fica com raiva de mim, por favor. Aguenta até o fim do texto!

Sim, aguentar, tolerar, suportar coisas que não são exatamente de acordo com o que a gente quer – que até agora você talvez ache que necessita, que precisa – não é agradável, é frustrante, sim. A gente quer se livrar o quanto antes, muitas das vezes por achar que não suporta. Mas será verdade? Há quantos dias você já está aguentando essa situação? O que você fez esses dias todos para suportar? Talvez seja bem difícil de tolerar, mas seja tolerável.

Imagina como se sentiria se você acreditasse e aceitasse que você gostaria que os outros poderia fazer o que você quer, na hora que você quer, simplesmente por que você quer, mas que talvez isso não vá acontecer. Isso não significa que meu marido seja um retardado, meu filho um porco, minha filha uma peste, minha esposa uma preguiçosa, meu pai irritante, e que minha mãe só enche o saco. Significa que eles estão fazendo coisas que eu não quero, mas não há nada no mundo que os obrigue a fazer o que eu quero. Vai ser desagradável e difícil os próximos dias, mas dá pra suportar. Vai valer a pena! Afinal, não temos como sair de casa!

Aproveite da melhor forma possível esses dias!


Gostou desse artigo?


Texto desenvolvido por Márcia Verônica de Paiva Machado, Psicóloga formada pela PUC-Rio (CRP 05/35863).

Terapeuta Certificada pelo Instituto Albert Ellis em Terapia Racional-Emotiva Comportamental.

Atende em consultório particular, com sessões baseadas em Terapia Racional-Emotiva Comportamental.

Faça contato e agende uma consulta.

38 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
 
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

©2019 por TREC RJ.