Perfeccionismo - As emoções mais frequentes (3 de 5)

Se não for perfeito, é terrível, significa que eu sou um fracasso e isso é inadmissível nem suportável. Mas o que você sente?

Hoje vamos falar sobre as emoções geradas por crenças de perfeição. Esse é o terceiro de 5 textos sobre o tema. Se você não viu os dois primeiros, clique para acessar: Hoje, vamos ver as emoções mais frequentes no perfeccionista no modelo ABC. Inicio com um pensamento do Windy Dryden , um teórico da TREC: As pessoas que mais têm medo de falhar são aquelas que nunca falharam. Sabemos que os perfeccionistas tendem a ficar angustiados por estarem angustiados (o que na TREC seria uma meta-emoção, quando eu sinto alguma coisa por sentir alguma coisa, quando a emoção passa a ser um novo A, que gera uma nova inferência e montamos um novo ABC). Vamos fazer de tudo para evitar sentir emoções negativas, pois como o próprio nome sugere, não são boas de sentir. Existem crenças irracionais de que sentir emoções negativas é ruim, é errado. Só quem sente emoções negativos é fraco, coisas do tipo, que sabemos existir aos montes. Esse perfeccionismo emocional, aliado a crenças de perfeccionismo contribuem para um forte desejo de corrigir e melhorar o eu e se distrair para que as emoções negativas sejam evitadas o máximo possível. A TREC por ser uma terapia realista, acredita que as emoções negativas são necessárias, saudáveis e adequadas quando estamos diante de algo que nos frustra, algo que não é bem o que queremos. Considerando o perfeccionismo como algo ruim, considerando a perfeição como algo não alcançável por humanos, vamos entender como a aversão às emoções negativas não saudáveis têm papel importante na manutenção desse ciclo. Já gravei um vídeo sobre as 8 duplas de emoções negativas da TREC aqui pro canal. Vamos entender ABCs não saudáveis para o perfeccionismo e depois vou sugerir crenças saudáveis para alcançar a excelência. Situação: fazendo um relatório importante, penso ‘Será que vai ficar perfeito?’. Tenho crenças irracionais catastróficas de que é terrível se não for perfeito. Emoção: Ansiedade Comportamentos possíveis: Procrastinação Checagem excessiva Queda da produtividade Situação: fazendo um relatório importante, penso ‘eu sou o único responsável por isso sair perfeito!’. Tenho crenças irracionais de auto-avaliação global de auto-culpa que eu deveria fazer perfeito, se não fizer sou um fracassado. Emoção: Culpa Comportamentos possíveis: Procrastinação Supercompensação Auto-punição Situação: fazendo um relatório importante, penso ‘Sou um fracasso, porque não fiz perfeito! Acabou... Não sirvo mais pra nada...’. Tenho crenças irracionais de auto-avaliação global de auto-culpa, de desvalor, de fracasso. Emoção: depressão Comportamentos possíveis: Ruminação de falhas e erros Auto-criticismo Evitação / Não faz Situação: fazendo um relatório importante, penso ‘vão me julgar se fizer qualquer coisa errada!’. Tenho crenças irracionais de catastrofização com relação à exposição da falha, auto-avaliação global de desvalor. Emoção: vergonha Comportamentos possíveis: Evitação / Não faz / busca excessiva de segurança Situação: fazendo um relatório importante, penso ‘Por que as pessoas não fazem as coisas do jeito certo? São uns inúteis! Não dá pra depender dos outros’. Tenho crenças irracionais de catastrofização com relação ao erro do outro, avaliação global de desvalor. Emoção: Raiva Comportamentos possíveis: Agressividade com o outro / Aumenta exigência Trouxe aqui 5 das 8 emoções negativas não saudáveis, mas as que não entraram, também são perfeitamente possíveis, porém não tão frequentes – mágoa, inveja e ciúmes não saudável. Uma forma genérica que pode ser usada para desenvolvermos crenças racionais, saudáveis para alcance da excelência é considerar a auto-aceitação incondicional em momentos de falhas, aceitação incondicional de que os outros também têm limites, visão moderada do erro, tolerância à falha. Mas sobretudo é importante desenvolver crenças de preferência. Você tem todo direito do mundo de fazer o melhor, de se esforçar para superar seus limites, de querer um bom desempenho profissional, acadêmico e em qualquer área que você julgue importante. Sim!!! Somos humanos e temos desejos, preferências, sonhos. Só prepare-se para quando eles não acontecerem. Como? Aceitando simplesmente que caso eles não aconteçam, isso não significa que você é um fracasso. Avalie seu comportamento, e se prepare melhor. Você vai experimentar emoções negativas saudáveis: arrependimento, tristeza, decepção, irritação, preocupação. Mas você será capaz de enfrentar o problema e chegar o mais próximo possível da excelência, que a partir de hoje pode ser sua mais nova meta de vida. No próximo texto, falarei sobre o modelo clínico cognitivo comportamental do perfeccionismo. É bem interessante, e resume tudo que falamos nos 3 primeiros.

Vamos aproveitar esses dias da melhor maneira possível!

Gostou desse artigo?

Texto desenvolvido por Márcia Verônica de Paiva Machado, Psicóloga formada pela PUC-Rio (CRP 05/35863).

Terapeuta Certificada pelo Instituto Albert Ellis em Terapia Racional-Emotiva Comportamental.

Atende em consultório particular, com sessões baseadas em Terapia Racional-Emotiva Comportamental.

Faça contato e agende uma consulta.

33 visualizações

©2019 por TREC RJ.